Sobrepeso e obesidade

Qual a diferença entre sobrepeso e obesidade

É comum a confusão entre sobrepeso e obesidade. Ambos dizem respeito a estar além do peso considerado ideal, mas a diferença é a seguinte: o 1º é usado para indicar o excesso de peso, enquanto o 2º se refere a excesso de gordura corporal.

Uma das maneiras de se diferenciarem sobrepeso e obesidade é pelo Índice de Massa Corporal (IMC). Para calcular o IMC de uma pessoa basta dividir o peso pela altura ao quadrado. Por exemplo: uma mulher que pesa 65 kg e mede 1,65 m deve fazer a seguinte conta: 65/1,65×1,65. Isso resulta em 23,9.

Para se ter uma ideia, o IMC de uma pessoa com peso ideal, considerada saudável, varia de 18,50 e 24,99. Logo, a mulher do exemplo está em peso normal.

Uma pessoa com sobrepeso tem IMC entre 25 e 29,99. A partir disso, o quadro é considerado obesidade, que apresenta grau 1 (entre 30 e 34,99), grau 2 (entre 35 e 39,99) e grau 3 (mais que 40). Quanto maior for o resultado, mais grave é o nível dessa condição.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. Em projeção para 2025, os números são os seguintes: estima-se que cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam acima do peso e mais de 700 milhões serão obesos.

Sobrepeso

Um adulto é considerado com sobrepeso quando está acima de peso saudável estipulado. A causa é principalmente relacionada ao sedentarismo, aos maus hábitos alimentares e à predisposição genética.

Essa faixa pode demonstrar um risco maior de doenças como diabetes tipo 2, de aumento do ácido úrico, de hipertensão, dentre outras.

Porém, é preciso levar em conta que o IMC não diferencia tecido adiposo, a gordura corporal, da massa muscular magra. Como os músculos são mais pesados que a gordura, pode acontecer de um indivíduo ter um IMC alto, mas não estar realmente acima do peso.

Obesidade

É considerado quando há excesso de gordura corporal comparado à massa muscular magra ou um peso que é 30% acima do peso ideal para uma altura específica.

Os motivos que podem causar essa condição em geral são multifatoriais e envolvem aspectos genéticos, ambientais, emocionais e de estilo de vida. Em geral, as principais causas são sedentarismo e hábitos alimentares pouco saudáveis.

Uma das grandes preocupações relacionadas a esse problema é a ligação direta da condição com doenças crônicas e que comprometem a qualidade e a expectativa de vida, como hipertensão, diabetes e problemas cardiorrespiratórios.

Outra questão grave é a localização da gordura acumulada. Quanto mais gordura na região abdominal, maiores serão os riscos de desenvolvimento de doenças cardíacas e de colesterol aumentado.

Devido aos problemas de saúde que podem gerar, sobrepeso e obesidade devem ser evitados e tratados com uma alimentação saudável e uma vida mais ativa.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como médica em Marcelino Ramos!

Dra. Daniela Sommer

Posted by Dra. Daniela Sommer