ptose palpebral

O que é ptose palpebral?

Você já ouviu falar em ptose palpebral? Esse é o nome técnico dado à queda da pálpebra, condição comum, mas que pode impactar na aparência, autoestima e na saúde visual do paciente.

A ptose palpebral pode ser uni ou bilateral. Isto é, pode acontecer em apenas um ou dos dois lados dos olhos. Quer saber mais sobre a queda das pálpebras, descobrir suas causas e conhecer os tratamentos possíveis? Continue lendo o artigo e saiba mais!

Quais são as causas da ptose palpebral?

Apesar de ser mais comum em idosos, a ptose palpebral pode atingir pessoas mais jovens. Isso acontece porque o problema pode ter origem congênita. Não são raros os casos em que os indivíduos já nascem com as pálpebras caídas.

Vale destacar que a ptose palpebral também pode ser adquirida com o tempo, devido a lesões no nervo oculomotor, ou por:

  • lesão na inervação simpática;
  • miastenia grave;
  • envelhecimento natural;
  • traumas locais;
  • afecções neurológicas;
  • tumor ocular;
  • doenças sistêmicas, como a diabetes.

A ptose ocorre basicamente porque os músculos responsáveis por elevar as pálpebras não são fortes o suficiente, e perdem a sua capacidade de sustentação.

Quais são os tipos de ptose palpebral?

Os tipos mais comuns a ptose mecânica, congênita e involucional. A do tipo mecânica é mais frequente a partir dos 50 anos de idade e tem relação com o excesso de pele (dermatocálase) na região. Esse excesso aumenta o peso das pálpebras, ocasiona a queda palpebral e pode diminuir o campo visual do paciente

A ptose palpebral congênita vem desde o nascimento e permanece com o passar dos anos, podendo prejudicar diretamente o desenvolvimento da visão da criança. Se tal condição for caracterizada pela obstrução do eixo visual, pode ser necessário fazer cirurgia precocemente, para evitar complicações. Em casos leves, a cirurgia pode ser adiada.

Já a ptose involucional, ou ptose senil, se dá a partir dos 60 anos de idade em decorrência do processo de envelhecimento natural. Ela está relacionada diretamente com a diminuição gradual de sustentação da musculatura elevadora da pálpebra.

Quais são as consequências da queda das pálpebras?

Também chamada de blefaroptose, a queda das pálpebras pode resultar em apenas consequências estéticas, mas também pode gerar severos problemas funcionais. Nos casos mais graves, a pálpebra pode cobrir o eixo visual e comprometer a capacidade de enxergar.

Como tratar a ptose das pálpebras?

O tratamento efetivo é a realização de cirurgia. O procedimento utilizado é a blefaroplastia, intervenção também utilizada para a eliminação de bolsas de gordura, flacidez e rugas locais, a fim de melhorar o aspecto geral das pálpebras superiores e inferiores.

Se não for adequadamente tratada, a ptose palpebral grave pode desencadear condições mais sérias, como a ambliopia, um tipo de cegueira provocada pelo mal desenvolvimento da visão de um olho. A condição acontece porque a ptose palpebral cobre parte significativa da córnea e da pupila, prejudicando a visão.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como médica  em Marcelino Ramos!

Dra. Daniela Sommer

Posted by Dra. Daniela Sommer